quinta-feira, 9 de maio de 2013

A Quinta-Feira da Ascensão ou Dia da Espiga

            A comemoração do feriado municipal no Concelho da Marinha Grande fez-se durante muitos anos a 26 de Março, dia em que, em 1917, após a restauração do Concelho, tomou posse a nova Comissão Instaladora.
            Porém, na Marinha Grande, havia já a tradição de comemorar O Dia da Espiga que, pertencendo ao Calendário Cristão, ocorre 40 dias após o Domingo de Páscoa. Esse dia era comemorado pelos vidreiros, sector industrial dominante à época, mas, também, pelo comércio, sendo feriado e dia de descanso, tradicionalmente assinalado com grande festa no concelho.
            Assim sendo, a partir de 1964, por decisão da Câmara Municipal, o feriado municipal do nosso concelho passou a ser assinalado nesse dia.
            Reunindo-se em grupos familiares ou de amigos, a população desloca-se ao Pinhal do Rei para a realização de piqueniques, de cuja ementa fazem parte os pastéis de bacalhau ou o tradicional coelho com ervilhas, sempre acompanhados de um bom vinho. Mas, manda a tradição que, nesse dia, se apanhe a Espiga, cuja composição, em número e significado das plantas que a compõem, varia de região para região. Regra geral, na Marinha Grande, a Espiga é composta de alecrim ou rosmaninho, um ramo de oliveira, uma papoila, malmequeres ou outras flores silvestres, um ramo de videira e, claro, uma espiga de trigo, simbolizando, respectivamente, a saúde e a força, o azeite e a paz, o amor e a vida, a fortuna, o vinho e a alegria, e o pão. É também usual que se guarde a Espiga até ao ano seguinte para dar sorte.
            A tradição da Quinta-Feira da Ascensão ou Dia da Espiga ainda, nos dias de hoje, é respeitada e aguardada com ansiedade pela população marinhense.
            No tempo em que os meios de transporte eram bem diferentes dos de hoje, a população deslocava-se ao Pinhal para apanhar a Espiga, para merendar ou até para, e além disso, dar um passeio à praia, usando todos os meios ao seu alcance. Uns iam de bicicleta, alguns em carroças de tracção animal ou em camionetas, e outros deslocavam-se no famoso Comboio de Lata. Depois de decorado a rigor e com os vagões de transporte dos grandes pinheiros transformados em vagões de passageiros com a colocação de bancos corridos, o comboio, que circulou no Pinhal entre 1923 e 1965, era cedido pela Circunscrição Florestal para transporte da população.

O Comboio de Lata engalanado em Quinta-feira de Ascensão - Anos 30 do séc. XX

1 comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...