sexta-feira, 27 de janeiro de 2017

Novamente, o Comboio de Lata

            Por várias vezes aqui tenho escrito acerca do antigo caminho-de-ferro florestal que em tempos serviu na Mata Nacional de Leiria/Pinhal do Rei, mais conhecido por Comboio de Lata.
            Recorde-se que este pequeno comboio, de via reduzida (60 cm), era composto por três locomotivas a vapor, alimentadas com lenha do próprio Pinhal, dois vagões de passageiros, vários outros de caixa aberta (para carga variada) e alguns outros próprios para o transporte de grandes pinheiros.
            Muito útil nos primeiros anos de actividade, por falta de estradas e transportes rodoviários, tornou-se obsoleto quando, no Pinhal do Rei, se construiu uma rede de estradas florestais cobrindo em grande parte toda a área do Pinhal. Foi por isso desactivado em 1965 e deixou de circular, após 42 anos de serviço.
            Em 1967, todo o conjunto que compunha o Comboio de Lata (máquinas, carruagens e carris), foi vendido em hasta pública, para sucata, à porta da Repartição de Finanças.
            Conforme se pode ver em várias fotografias, quer sejam antigas ou recentes, duas locomotivas estavam assinaladas com placas alusivas à sua propriedade em favor das Matas Nacionais com os dizeres “MNN1”, “N2” + “MN”, indicando serem locomotivas das Matas Nacionais, Nº1 e Nº2. Já a terceira locomotiva, aparentemente, não tinha esse tipo de indicação, se é que não desapareceu durante o tempo em que esteve exposta em S. Pedro de Moel.
            Desta locomotiva (suposta Nº 3) e da Nº1 (MNN1) já por aqui publiquei inúmeras fotografias quando sumariamente abordei o tema Comboio de Lata.
            Por outro lado, especificamente acerca da locomotiva Nº1 (MNN1), publiquei também vários registos fotográficos do seu percurso depois de vendida, nomeadamente após a sua chegada a Inglaterra e a excelente recuperação a que por lá foi sujeita, havendo apenas a lamentar que tudo não tenha acontecido por cá, já que poderíamos estar perante o regresso do Comboio de Lata.
            Ora, já relativamente à locomotiva Nº2 não se conhecem fotografias após o seu desaparecimento da Marinha Grande. De facto, desta locomotiva desconheceu-se o paradeiro durante muitos anos, acreditava-se até que já teria sido desmantelada, mas sabe-se hoje que se encontra em Vila Franca de Xira numa quinta de organização de eventos, onde, em pedestal, vai servindo de ornamentação exterior.
            Reaver este antigo património marinhense deveria ser uma prioridade, uma oportunidade, talvez derradeira, antes que o ferro-velho tome definitivamente conta do seu destino. Caso contrário, será lamentável que não haja quem possa e queira readquirir, recuperar e expor na Marinha Grande este “pedaço” do nosso património histórico, quer sejam entidades oficiais ou particulares.


O Comboio de Lata no Pinhal do Rei - Locomotiva Nº 2 - ano de 1923

O Comboio de Lata no Pinhal do Rei - Locomotiva Nº 2 - ano de 1956


O Comboio de Lata em Vila Franca de Xira - Locomotiva Nº 2

Placa indicando o fabricante alemão

Indicação da antiga propriedade em favor das Matas Nacionais

domingo, 8 de janeiro de 2017

No tronco dum pinheiro da Floresta

A infinita frase dos pinhaes
cantou embaladora à minha infância,
e ficou em minha alma a ressonância
destas religiosas catedraes...
Em cada inverno as árvores doridas
fogem do mundo, deixam-no sozinho;
só estas, sempre fielmente erguidas,
mantêm no mesmo gesto igual carinho.
Verdes amigos certos para a gente,
têm a constância na adversidade,
dão a saúde e ensinam a bondade,
— a Bondade: justiça sorridente.

Afonso Lopes Vieira


Painel (parte) de azulejos no antigo lavadouro de S. Pedro de Moel
Parque do Vale do Ribeiro de S. Pedro de Moel
(Desenho de Gama Diniz)
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...