sexta-feira, 26 de setembro de 2014

A Serração de Pedreanes

            Em 1952, para um plano de construção e renovação de edifícios, o Estado pediu aos Serviços Florestais grandes quantidades de madeira de boa qualidade.
            Para melhor seleccionar, trabalhar e controlar a madeira fornecida, foi decidido construir uma grande serração nos próprios Serviços Florestais. Esta foi montada em Pedreanes, nesse mesmo ano, e trabalhou exclusivamente durante muitos anos para os Serviços Florestais de todo o País. Nos últimos anos da sua laboração foi aberta a venda a particulares fornecendo madeira da melhor qualidade, tratada e trabalhada.
              Encerrou por volta dos últimos anos do passado Século.
             Na fotografia que tive oportunidade de tirar em 2002, representando o seu interior, ainda era visível no solo a malha de barrotes que constituía o parque de secagem, sobre a qual assentavam as madeiras trabalhadas conforme se vê na fotografia dos anos 50 do passado século aqui reproduzida. Essa malha de barrotes foi mais tarde retirada.
            Nos dias de hoje, a serração vai servindo de garagem, depósito temporário de antigas viaturas, troncos de árvores trazidas do Pinhal, alguma lenha e, creio, pouco mais.
            Entretanto, a não laboração vai trazendo alguma falta de manutenção, o que leva a que já seja visível alguma degradação dos antigos barracões.
 
A serração em laboração em 1954

Parque de secagem da serração nos anos 50 do Séc. XX
 
A serração em laboração nos anos 60 do Séc. XX

Vista do interior da serração em 2002
 
Vista Sul dos barracões da serração de Pedreanes em 2004

quarta-feira, 10 de setembro de 2014

Árvore de interesse público na Ponte Nova

            O pinheiro bravo é largamente a espécie predominante no Pinhal do Rei (Mata Nacional de Leiria) mas, para além do pinheiro bravo e de alguns núcleos de pinheiro manso, existe uma grande variedade de outras espécies, quer sejam arbustos de geração espontânea ou grandes árvores exóticas, plantadas em várias épocas para alindar o Pinhal ou para estudos botânicos.
            Nas margens do Ribeiro de Moel podem ser observados exemplares raros de carvalhos, faias e amieiros, plantados em 1950 para alindar a estrada paralela ao ribeiro, entre a Ponte de S. Pedro e o Canto do Ribeiro (na Praia Velha).
            Na zona da Ponte Nova encontram-se alguns eucaliptos gigantes, com mais de 50 metros de altura (dos maiores da Europa), e altíssimas acácias, raras em Portugal. No maciço de eucaliptos situado no talhão 247, encontra-se um exemplar que, pelas suas dimensões, está classificado como árvore de interesse público desde 1997.
            Em 2010, quando foi medido, este exemplar apresentava as seguintes dimensões:
              Altura total – 63 metros
            Diâmetro a 1,30 do solo  – 1,5 metros
            Perímetro a 1,30 do solo – 4,7 metros  
            Diâmetro médio da copa – 23 metros
            Coordenadas Geográficas aproximadas:
            39° 46' 04.7" N
            09° 00' 15.5" W
Placa informativa acerca desta árvore notável
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...