terça-feira, 24 de junho de 2014

A Fonte do Tromelgo

            O Pinhal do Rei possui ainda hoje um conjunto de fontes construídas pelos Serviços Florestais a partir de 1909. Nestas fontes matavam a sede os trabalhadores que no Pinhal laboravam.
            Situada no talhão 289, a Fonte do Tromelgo foi construída pelos Serviços Florestais e ostenta uma placa indicando como data de inauguração o dia 9 de Novembro de 1932. No entanto, é de crer que, como diz Deolinda Bonita, no seu livro “Raízes”, por o ter ouvido de quem perto dali viveu no início dos anos 1920, o actual fontanário terá substituído uma primitiva fonte que, naquela época, “era uma cova muito funda, onde nos tínhamos que curvar em arco para chegarmos à bica que só corria um fio de água. Enchíamos o púcaro de barro e levávamo-lo aos lábios para matar a sede”.
            A Fonte do Tromelgo foi em tempos uma das mais importantes e concorridas fontes desta Mata. Todos se lembram da qualidade e frescura da sua água, e de como era grande a afluência da população em sua busca. Munidos do tradicional cântaro de barro ou do garrafão de vidro, os populares faziam fila esperando pacientemente a sua vez de encher o vasilhame. E era tão grande a qualidade desta água que, noutros tempos, quando ainda nem todos tinham acesso à água canalizada e distribuída pela Câmara Municipal e porque também não estava ainda vulgarizada a venda de água engarrafada, chegou a ser comercializada por várias aguadeiras, que ali enchiam inúmeros cântaros que transportavam depois em carroças de burro até à Marinha Grande, vendendo porta a porta e pelas fábricas. E, acerca deste comércio, diz ainda Deolinda Bonita: “ (…) para não falar dos aguadeiros mais antigos que abasteciam as fábricas vidreiras”.
            E de facto assim era! Lembro-me bem de uma dessas aguadeiras, a Bina, como era conhecida, com a carroça cheia de cântaros andando de um lado para o outro, ora a caminho do Tromelgo para se abastecer, ora ao encontro dos seus muitos clientes para lhes fornecer a preciosa água do Tromelgo.
            Após ter sofrido uma intervenção de conservação em 1997, com o decorrer dos anos, com falta de manutenção regular de então para cá e pela acção do tremendo temporal de Janeiro 2013, a fonte encontra-se em muito mau estado dando uma imagem clara da falta de zelo que devia ser dispensado a esta e, de um modo geral, a todas as fontes do Pinhal do Rei.
            Em tempos, lembro-me de, em muitas das fontes do Pinhal, ver afixados os resultados das análises feitas à qualidade da água dessas fontes.
            Actualmente, nesta fonte, como em todas as fontes do Pinhal do Rei, existe uma placa que diz que a sua água não é controlada, deixando na dúvida o visitante que, em caso de necessidade, não sabe se é própria ou imprópria para consumo. Será que esta situação não leva esse visitante a pensar que é mais fácil e barato afixar definitivamente uma placa dizendo que a água não é controlada do que fazer análises regulares à qualidade da água e afixá-las?

Coordenadas Geográficas aproximadas:
39° 44' 09" N
08° 57' 58" W




A Fonte do Tromelgo

A Bina (aguadeira) em 1969 transportando água do Tromelgo
IN: Bonita, D.,2006, Alcunhas Marinhenses II, Marinha Grande, Ed. Autor

2 comentários:

  1. Aguadeiras ainda em 1969?! Que espanto! Desconhecia...

    Lamento a falta de cuidados com estas preciosidades. Falta de recursos ou falta de sensibilidade?!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É mesmo falta de sensibilidade por parte do Instituto de Conservação da Natureza e das Florestas / MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, DO MAR,
      DO AMBIENTE E DO ORDENAMENTO DO TERRITÓRIO

      Eliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...